segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Oficina de Contação de histórias - Instituto Paulista de Educação e Saúde



Oficina de Contação de histórias - Instituto Paulista de Educação e Saúde
A Arte de Contar, ler e ouvir histórias.
Dia 10 de novembro - das 13h às 17h.

LOCAL: Clínica Psicológica (200 metros da estação Vila Mariana do metrô)

Investimento: $ 100,00 - Com Certificado
Contar histórias é a mais antiga e, paradoxalmente, a mais moderna forma de comunicação. No passado, era o contador de histórias o depositário da experiência, conhecimento e sabedoria. Em tempos passados, o rito familiar possibilitava o clima intimista na relação entre as gerações nas sessões de contação de histórias. A figura do avô ou da avó era símbolo do faz-de-conta, agente de introspecção imaginativa das crianças e jovens. Via de regra, brincadeiras entre crianças reproduziam e ampliavam as simbologias dos momentos mágicos extraídos dos livros.

Por meio de dinâmicas e vivências, esta oficina procura despertar os contadores de histórias que existem em cada um, estimulando com técnicas elaboradas, a faceta sensível e poética inerente ao ser humano, aprimorar sua capacidade expressiva e criativa, valorizar a relação com o livro como fonte de inspiração na busca de disseminar, pela prática, o direito de formar não somente leitores, mas antes de tudo, cidadãos sensíveis, mais humanizados.

OBJETIVOS
A OFICINA é uma proposta interdisciplinar que tem por objetivos:
• Sensibilizar o talento criativo do participante para ouvir e intuir histórias
• Integrar o conhecimento e a sabedoria milenares das histórias ao nosso cotidiano
• Familiarizar o participante com as técnicas e as artes de ouvir e contar e ler histórias.
• Estimular os participantes a contarem histórias em seu dia-a-dia.

ESTRATÉGIAS
A metodologia desta oficina contempla:
• Exercícios interativos, de sensibilização e observação de si mesmo e do outro
• Exercícios de ler, ouvir e contar histórias
• Momentos de embasamento teórico-prático por meio de leituras dirigidas e aula dialogada

PÚBLICO-ALVO
Todos que queiram conhecer vivenciar e trocar idéias sobre a arte de ler, ouvir e contar histórias.
*Pede-se que o participante tenha mais de 15 anos.

PRELETOR
Marcelo Clemente - Mestre em Educação e Saúde pela UNIFESP, Pedagogo, Psicopedagogo e Professor de cursos de especialização em Pedagogia Hospitalar.

QUANDO?
Dia 10 de novembro - das 13h às 17h.

VALOR: 100,00

LOCAL: 
Clínica Psicológica - (200 metros da estação Vila Mariana do metrô)

INFORMAÇÕES:
marcelorhema@gmail.com

VAGAS LIMITADAS

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Aprovada Lei que prevê a criação de Escola Hospitalar em Santos


Aprovada Lei que prevê a criação de Escola Hospitalar em Santos

17/10/2012
Alunos com doenças crônicas terão acompanhamento desde a alfabetização à preparação para o ENEM

GRAACC - Combatendo e vencendo o câncer infantil

2011 1










"Classe Hospitalar". O termo, amparado pela Resolução CNE/CEB no. 2 (11/09/11), garante os direitos para que alunos/pacientes, em tratamento de doenças crônicas, mantenham a escolarização durante o período de internação hospitalar, atendimento ambulatorial ou permanência prolongada em domicílio. Para crianças e adolescentes, bem como suas famílias, a continuação da rotina de estudos reforça a vontade de viver.
Após conhecer o Programa "Escola Móvel", do GRAACC, da Escola Paulista de Medicina, o atual presidente da Câmara Municipal de Santos, Manoel Constantino, apresentou em agosto, o Projeto de Lei que visa a criação, em Santos, da "Escola Hospitalar".  

Hoje, 17 de outubro, com publicação no Diário Oficial,  a Escola Hospitalar torna-se Lei (no. 2.865/2012), com aprovação da Câmara Municipal e  sanção do prefeito João Tavares Papa.
A Lei vai permitir que professores concursados e com treinamento específico acompanhem o aluno/paciente em todas as disciplinas de Educação Infantil, incluindo o processo de Alfabetização, estudos para o ENEM, bem como outras provas que os alunos pretendam realizar, por exemplo, concursos públicos, até o ingresso na Faculdade.
"O objetivo da Escola Hospitalar engloba não apenas o direito do aluno estudar. A escola e o professor são essenciais na vida de todos e não podem se afastar  no momento em que uma criança ou jovem mais precisam. A continuação do estudo vai dar coragem para o aluno/paciente e seus pais diante de uma doença grave ou crônica", enfatiza Constantino.
Segundo dados do GRAACC, o Programa "Escola Móvel" mudou o comportamento das famílias e dos próprios alunos/pacientes, os quais, pelo impacto da doença, se afastavam da escola por acharem que o tratamento médico era mais importante.
Até 2000, 49% das crianças e adolescentes desistiam do ano escolar. Hoje, apenas 7% não continuam os estudos.
Constantino reconhece os desafios da "Escola Hospitalar": "a escola tradicional não tem condições e preparo para entender o tempo destes pacientes. Tudo muda. Treinar os professores para adequar o currículo escolar à nova condição física e psicológica do aluno é parte essencial deste Projeto, que prevê contar com parceria das secretarias de Ensino e Saúde de Santos ".
O professor-hospitalar, diferente da escola regular, não conta, em seu cotidiano, somente com aulas pré-planejadas, raramente elas alcançam as necessidades dos alunos em tratamento médico, justamente por tratarem-se de doenças que afetam muito o emocional de pacientes e familiares, como os diversos tipos de cânceres; doenças e tratamentos renais e hematológicos, doenças cardiovasculares; hepatite autoimune e outras não resolvidas em tempo curto.
Apesar de não constarem como emergências médicas, estas patologias são extremamente sérias, com sintomas contínuos e incômodos, levando à perda da qualidade de vida e até a morte. "Como o foco é manter o aluno motivado, as aulas podem ser dadas em qualquer espaço disponível dentro de um hospital, ou seja, não há necessidade de grandes transformações nestes locais para continuar a aprendizagem, a não ser boa vontade. Basta ver o trabalho da Oncologia Pediátrica da Santa Casa de Santos e o trabalho do GRAACC para entender a dimensão desta Lei". destaca Constantino.

escola movel Petrobras

domingo, 21 de outubro de 2012

Prof. Marcelo Clemente, ministra aula de Pedagogia Hospitalar no Curso da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP

Dia 20/10/2012, o Prof. Marcelo Clemente ministrou uma aula sobre a atuação do Pedagogo em ambiente hospitalar, no curso de extensão em Pedagogia Hospitalar da Pontifícia Universidade Católica - PUC/SP. Na ocasião, o Prof. Marcelo abordou em sua palestra, os objetivos da Pedagogia Hospitalar, um breve retrato atual da atividade na cidade de São Paulo e em outros estados, além dos aspectos éticos e práticos da atividade do pedagogo em ambiente hospitalar.
 Confira abaixo fotos da turma.









quinta-feira, 11 de outubro de 2012

XXIV Semana de Estudos da Pedagogia: "Pedagogia e Seus Múltiplos Horizontes", promovido pela UNESP (Rio Claro).

XXIV Semana de Estudos da Pedagogia: "Pedagogia e Seus Múltiplos Horizontes", promovido pela UNESP (Rio Claro).

O Departamento de Educação da universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Campus de Rio Claro - UNESP; promoveu a XXIV Semana de Estudos da Pedagogia, com o tema: "Pedagogia e Seus Múltiplos Horizontes". No dia 18/10, o Prof. marcelo Clemente, ministrou a palestra - O Pedadogo e sua atuação em ambiente Hospitalar. O anfiteatro do Departamento de Biociências, estava repleto de alunos, pesquisadores e interessados no tema da Pedagogia Hospitalar.

O Pedagogo e e sua atuação em ambiente hospitalar.

Preletor: Prof. Ms. Marcelo Clemente









A XXIV Semana de Estudos da Pedagogia, da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Campus de Rio Claro abordará as diversas possibilidades de atuação do pedagogo. A escolha deste tema decorreu da realidade do referido curso, uma vez que este é voltado para a pedagogia escolar. Diante das diversas alternativas do profissional, como: Pedagogia social, empresarial, hospitalar, a Semana de Estudos vem para mostrar quais as possíveis áreas em que a pedagogia se aplica. Historicamente a formação do pedagogo está contida às instituições de ensino; a nova realidade do mercado ampliou seus horizontes, o qual pode assumir um papel importante em diversas áreas, uma vez que este sabe lidar com os processos de ensino/aprendizagem, de forma que onde houver este processo, o pedagogo será fundamental. Tem como objetivo auxiliar não só aqueles que buscam caminhos distintos aos escolares para profissionalização, como também de informar novas possibilidades pouco conhecidas da área. A Semana será composta por mesas redondas e palestras com profissionais de diferentes instituições, pesquisadores do tema e oficinas que demonstrem, de forma prática, as diversas atuações. Também teremos apresentações de trabalhos acadêmicos e a realização de um sarau cultural. O evento acontecerá na segunda semana de outubro, entre os dias 15 e 20, sendo destinado aos alunos do curso de pedagogia e demais licenciaturas, alunos da pós-graduação, professores, enfim, a todos que tenham interesse pela temática.





PROGRAMAÇÃO
SEGUNDA-FEIRA (15/10)
18h30: Credenciamento
19h30: Atividade Cultural
20h00: ABERTURA
21h00Café

21h20: Palestra: "Práticas pedagógicas fora do contexto escolar” (foco em Pedagogia Clínica).
Palestrante: Psicopedagoga Marta Fontes Borghi

TERÇA-FEIRA (16/10)
16h/18h: Oficina: Ecobrinquedoteca Espaço Brincar (inscrição separada do restante do evento).
19h: Atividade Cultural
Mesa Redonda: Projetos Sociais e Culturais. Participantes: Bruna, Fabiano e Binho.
21h/21h20: Café
21h20: Oficinas:
v Hip Hop;
v Organização Social Arte e Vida (Beatriz e Gabriela);

v Produção e Edição de Vídeos (Henrique Tozzi);
v Movimento Bandeirante:  uma forma diferentes de educar (Caroline Florindo);
v Musicalização Infantil (Joseano Moncaio);
v Apresentações utilizando a ferramenta Prezi (Larissa Benites e Marina Cyrino).
QUARTA-FEIRA (17/10)
19h/20h30: Mesa Redonda: A Prática Educativa em Penitenciárias. Participantes:Márcio e Valter.
20h30/20h45: Café
20h45/21h15: Apresentação das pesquisas em pôster no Espaço de Vivências.
21h20: Apresentação dos trabalhos acadêmicos na forma oral.
QUINTA-FEIRA (18/10)
19h: Palestra: “Pedagogia Hospitalar”. Palestrante: Prof. Me. Marcelo Clemente;
Experiência: “A experiência na ONG Hospitalhaços” – Gabriela.
21h/21h20: Café
21h20: Oficinas:
v  Hospitalhaços (Gabriela);
v  Produção e Edição de Vídeos (Henrique Tozzi);
v  Origami – arte com papel (Djian);
v  Movimento Bandeirante:  uma forma diferentes de educar (Caroline Florindo);
v  Contação de Histórias para Educação Infantil;
v  Teatro do Oprimido
SEXTA-FEIRA (19/10)
16h/18h: “Origamis” (Raquel) (inscrição separada do restante do evento).
19h/21h: Palestra: “Pedagogia no Hospital Boldrini” – Palestrantes: Luciana A. R. Silva de Mello: Coordenadora Pedagógica Hospitalar e Amanda B. B. Terzariol: Orientadora Educacional Hospitalar.
Experiência: “Experiência de estágio em Brinquedoeteca hospitalar”: Letícia Matos
21h/21h20: Café
21h20: Sarau Cultural
SÁBADO (20/10)
9h: Café da manhã
9h20: Palestra “Pedagogia em ambientes não escolares” (foco em Pedagogia Empresarial) (Profa. Marcela)
10h00: Oficinas: Arte teatral; confecção de carteiras com sucata.
11h00: Bate Papo sobre “Pedagogia Empresarial”

Informações e inscrições: http://www.inscricoes.fmb.unesp.br/principal.asp

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Oficina de Contação de histórias - Instituto Paulista de Educação e Saúde


Oficina de Contação de histórias - Instituto Paulista de Educação e Saúde
A Arte de Contar, ler e ouvir histórias.
Dia 10 de novembro - das 13h às 17h.

LOCAL: Clínica Psicológica (200 metros da estação Vila Mariana do metrô)

Investimento: $ 100,00 - Com Certificado
Contar histórias é a mais antiga e, paradoxalmente, a mais moderna forma de comunicação. No passado, era o contador de histórias o depositário da experiência, conhecimento e sabedoria. Em tempos passados, o rito familiar possibilitava o clima intimista na relação entre as gerações nas sessões de contação de histórias. A figura do avô ou da avó era símbolo do faz-de-conta, agente de introspecção imaginativa das crianças e jovens. Via de regra, brincadeiras entre crianças reproduziam e ampliavam as simbologias dos momentos mágicos extraídos dos livros.

Por meio de dinâmicas e vivências, esta oficina procura despertar os contadores de histórias que existem em cada um, estimulando com técnicas elaboradas, a faceta sensível e poética inerente ao ser humano, aprimorar sua capacidade expressiva e criativa, valorizar a relação com o livro como fonte de inspiração na busca de disseminar, pela prática, o direito de formar não somente leitores, mas antes de tudo, cidadãos sensíveis, mais humanizados.

OBJETIVOS
A OFICINA é uma proposta interdisciplinar que tem por objetivos:
• Sensibilizar o talento criativo do participante para ouvir e intuir histórias
• Integrar o conhecimento e a sabedoria milenares das histórias ao nosso cotidiano
• Familiarizar o participante com as técnicas e as artes de ouvir e contar e ler histórias.
• Estimular os participantes a contarem histórias em seu dia-a-dia.

ESTRATÉGIAS
A metodologia desta oficina contempla:
• Exercícios interativos, de sensibilização e observação de si mesmo e do outro
• Exercícios de ler, ouvir e contar histórias
• Momentos de embasamento teórico-prático por meio de leituras dirigidas e aula dialogada

PÚBLICO-ALVO
Todos que queiram conhecer vivenciar e trocar idéias sobre a arte de ler, ouvir e contar histórias.
*Pede-se que o participante tenha mais de 15 anos.

PRELETOR
Marcelo Clemente - Mestre em Educação e Saúde pela UNIFESP, Pedagogo, Psicopedagogo e Professor de cursos de especialização em Pedagogia Hospitalar.

QUANDO?
Dia 10 de novembro - das 13h às 17h.

VALOR: 100,00

LOCAL: 
Clínica Psicológica - (200 metros da estação Vila Mariana do metrô)

INFORMAÇÕES:
marcelorhema@gmail.com

VAGAS LIMITADAS

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Curso de Pedagogia Hospitalar

Curso de Pedagogia Hospitalar

 Dias  15, 22, 29/09 e 06/10  (sábados - das 9h às 16h)

Investimento: $ 200,00 (duzentos reais)

Local: Clínica Psicológica Vila Mariana - Duzentos metros da estação do metrô

A Pedagogia Hospitalar funciona como uma extensão da sala de aula, ela é destinada aos alunos que deixaram de frequentar as aulas por motivo de doença e estão internados em hospitais ou clínicas em processo de recuperação. O atendimento é realizado de forma diferenciado, o pedagogo leva até o aluno tanto conhecimentos relativos ao estudo disciplinar quanto um apoio emocional.

O curso de Pedagogia Hospitalar aborda conhecimentos teóricos-metodológicos relevantes para esta especialidade da pedagogia e buscará responder questões como:

O que é pedagogia hospitalar?

A quem se destina?

Quem pode exercer esta função?

Qual a importância dessa pedagogia?

Marcos históricos e legais.

Cursos de especialização em São Paulo e campo e trabalho.

Sinais e sintomas.

Doença, adoecimento e morte – como lidar com o luto.

PRELETORES

Marcelo Clemente - Pedagogo, Psicopedagogo Clínico, Institucional e Hospitalar, mestrando em Educação e Saúde da Criança e do Adolescente, pela Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP. Professor universitário em cursos de especialização em Pedagogia Hospitalar da PUC, FAMESP, Faculdade Nossa Senhora das Lourdes, Hospital Menino Jesus.

Myrian Soubkovsky - Enfermeira, graduada pela Universidade de São Paulo (USP). Especialista em UTI. Docente em cursos de Enfermagens do Senac. Atualmente trabalha como Enfermeira e Coordenadora no Hospital Israelita Albert Einstein em São Paulo.

PÚBLICO ALVO - Profissionais da área da educação.

Local: Clínica Psicológica Vila Mariana - Duzentos metros da estação do metrô

MATERIAL FORNECIDO - Apostila e Certificado

Informações e inscrições:
Telefone: (11) 7472-5474
E-mail: marcelorhema@gmail.com

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS - Cópia do RG

OBSERVAÇÕES:
•Vagas Limitadas.
•Fica reservada à Coordenação Geral, a substituição de professores por outros, de igual qualificação, caso haja necessidade.

www.pedagogohospitalar.blogspot.com.br

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Barbie careca será distribuída em hospitais nos EUA e no Canadá Após campanha, Mattel distribuirá em centros de tratamento de câncer.


A Mattel, fabricante da boneca Barbie, confirmou que produzirá uma boneca sem cabelos para ser distribuída exclusivamente em hospitais infantis e outros centros de tratamento de crianças com câncer nos Estados Unidos e no Canadá.
"A boneca será uma amiga da Barbie e possuirá acessórios que permitem que as crianças partilhem, no momento da brincadeira, experiências similares às que podem estar passando na vida real", informou a assessoria de imprensa da Mattel no Brasil. A Barbie careca não será comercializada e não há previsão de lançamento no Brasil.
A decisão da produção da boneca ocorreu depois de uma campanha pelo site de relacionamentos Facebook, em que uma comunidade com 157,4 mil participantes pedia que a empresa fizesse a Barbie careca. Uma petição online também foi assinada por quase 35 mil pessoas.

Fonte: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2012/04/barbie-careca-sera-distribuida-em-hospitais-nos-eua-e-canada.html

quinta-feira, 29 de março de 2012

Estagiários voluntários para Brinquedoteca do InCor

Informamos que estão abertas as inscrições para a seleção de estagiários voluntários de psicologia para atuação na brinquedoteca com crianças e adultos cardiopatas e pneumopatas. Seguem maiores informações.

1. Local de estágio: Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Av: Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 44 (2º andar / Psicologia) - Cerqueira César

2. Duração: 3 meses

3. Carga horária: 20 horas semanais (quatro horas diárias), exceto finais de semana

Manhã: 8:00 - 12:00 h ou 9:30 – 13:30 h
Tarde: 12:00 - 16:00 h ou 13:30 – 17:30

4. Número de vagas: 20 brinquedistas

5. Pré-requisito: SER GRADUANDO DE 2º ANO (3º ou 4º semestre) OU 3º ANO (5º ou 6º semestre) DE PSICOLOGIA

Objetivos gerais do estágio

- Participar do funcionamento de uma instituição hospitalar de grande porte;
- Conhecer aspectos gerais das pacientes internados (físicos e emocionais)
- Entrar em contato com crianças, adultos e seus familiares;
- Atuar na brinquedoteca dentro do hospital
- Ampliar conhecimento teórico e prático sobre o brincar dentro de hospitais.

Conteúdo Programático

- Desenvolver brincadeiras e atividades que irão favorecer o desenvolvimento psico-motor, sócio-cognitivo e afetivo das crianças e adultos, através de jogos, brinquedos, artes, músicas, faz-de-conta, datas comemorativas e atividades que estimulem a expressão livre e interação social. Tais atividades serão realizadas no Ambulatório e Enfermaria do InCor.
- Supervisão, discussão de casos e leituras.


atenção: Favor não enviar a inscrição via anexo, colocá-la no corpo do e-mail. as inscrições anexadas serão desconsideradas.

Somente serão aceitas inscrições enviadas para o e-mail psiensino@incor.usp.br até o dia 02 / abril / 2012 (segunda-feira).

Informamos que os inscritos selecionados serão informados através de contato via e-mail, a data e o horário de sua entrevista, que será nos dias 09, 10 e 11 de abril. Após o recebimento do e-mail, entrar em contato através do telefone 2661-5290 / 2661-5427, para confirmar sua entrevista.

Favor trazer curriculum atualizado com foto.

O estágio terá início no dia 13 / abril / 2012 e término em 20 / julho / 2012.

Por tratar-se de um estágio voluntário, não haverá fornecimento de bolsas.

Maiores esclarecimentos, entrar em contato com o Serviço de Psicologia InCor HC. FMUSP pelo telefone: 2661-5290, ou pelo e-mail psiensino@incor.usp.br

quarta-feira, 14 de março de 2012

Curso de extensão para professores de classes hospitalares que atuam no RJ.


Curso de extensão para professores de classes hospitalares que atuam no RJ.

Adiantando o conteúdo programático: Panorama das pesquisas sobre classes hospitalares e unidades de referência no Brasil: questões relevantes em debate; Educação alimentar e nutricional: textos de divulgação cientifica como material didático; Temas sobre alimentação presentes no cotidiano das classes hospitalares: principais demandas; Produção de material em mídias digitais abordando questões sobre alimentação e sobre a classe hospitalar: textos, imagens, vídeos e blog.

O endereço de inscrição e maiores informações:
http://www.sigma-foco.scire.coppe.ufrj.br/UFRJ/SIGMA/cursos_pos_grad_ls/geral/consulta/relatorio.stm?app=CURSOEXT&codigo=6044&nivel=X&buscas_cruzadas=ON

lobo.monica@ufrj.br

Pedagogia Hospitalar na PUC/SP


Curso de extensão universitária - Pedagogia Hospitalar: Atuação do Educador no Atendimento Pedagógico Domiciliário e Hospitalar da Pontifícia Universidade Católica - PUC/SP


Prof. Marcelo Clemente e alunas do curso de extensão universitária - Pedagogia Hospitalar: Atuação do Educador no Atendimento Pedagógico Domiciliário e Hospitalar da Pontifícia Universidade Católica - PUC/SP. Disciplina ministrada: Atuação do Pedagogo no Espaço Hospitalar.

O profissional que desenvolve ações educacionais com crianças e adolescentes enfermos ou hospitalizados necessita de uma formação ampla, com conhecimentos diversificados, instrumental específico e recursos adequados para atender às dificuldades e limitações impostas por esse tipo de situação. O objetivo do curso é desenvolver essas habilidades e competências em pedagogos, educadores e estudantes da área.

O programa oferece subsídios teóricos e práticos para que esses profissionais realizem trabalhos pedagógicos com crianças e adolescentes em espaços e ambientes hospitalares, em instituições de saúde e em centros de reabilitação, utilizando estratégias de ensino e acompanhamento escolar. Além da abrangência da atuação desse profissional, há ainda uma preocupação no curso em tratar da sua inserção na equipe de saúde.

O conteúdo enfatiza a importância da compreensão do comportamento humano e de como desenvolver as potencialidades dessas crianças e adolescentes, considerando possíveis limitações físicas, motoras e perceptivas, além das implicações sociais, afetivas e emocionais normalmente presentes em situações de enfermidade, adoecimento e internação.

Outro aspecto abordado se refere à implementação do trabalho escolar dirigido a esse público, respeitando a legislação brasileira vigente, especialmente o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). O profissional é preparado ainda para lidar com as perdas e a elaboração dos lutos nas situações de doenças, acidentes, limitações físicas e sensoriais.

Os profissionais são conscientizados sobre a importância das brinquedotecas hospitalares, obrigatórias nas instituições de saúde. Brincar é um direito da criança e envolve aspectos educacionais, psicológicos e de reabilitação relevantes. As aulas, teóricas e práticas, discutirão também questões como a interpretação das manifestações pessoais, por meio de desenhos, escrita, linguagem, expressão corporal e artística, histórias e contos, símbolos, sonhos e outros conteúdos inconscientes.

Carga Horária: 60 horas.


Fonte: http://cogeae.pucsp.br/cogeae/curso/156

segunda-feira, 12 de março de 2012

SÍNDROME DO BEBÊ SACUDIDO




SÍNDROME DO BEBÊ SACUDIDO
Dra. EVELYN EISENSTEIN

A Síndrome do Bebê Sacudido é uma forma de abuso físico que ocorre quando um adulto sacode um bebê geralmente menor de seis meses, “com freqüência pela irritação com seu choro, ou por realizar algum ato no qual não tem domínio, que desagrada a quem cuida dele” (Ministério da Saúde, 2002).

Cuidar de um bebê exige muita paciência e quando o cuidadores, seja o pai, a mãe, avós ou babás não conseguem suprir as necessidades dele, aumenta-se o risco de o bebê ser sacudido para cessar o choro.

Como o bebê está em desenvolvimento, qualquer alteração brusca pode ser irreversível. As sacudidas podem causar lesões que resultam em cegueira, hemorragias na retina, lesões oculares, surdez, fraturas em ossos, paralisia cerebral, deficiência mental e até morte.

É comum um bebê chorar duas a três horas por dia. Afinal essa é a única forma que ele tem no momento de se comunicar, mas há algumas sugestões do que se pode fazer se o bebê não parar de chorar:

• Tente alimentar o bebê novamente.
• Troque a fralda ou as roupas.
• Embrulhe bebê e coloque-o no berço.
• Abrace o bebê.
• Tranqüilize o bebê com música ou massagem.
• Coloque-o em lugar tranqüilo ou mais escuro.
• Verifique se o ambiente está confortável (temperatura, luminosidade).
• Leve o bebê para passear em um local fresco.
• Peça ajuda para alguém que esteja mais calmo que você para cuidar dele.
• Deixe o bebê no berço, saia do quarto, respire fundo, procurando acalmar-se e,então, volte para lá.
• Chame uma pessoa em que confia para lhe dar assistência.
• Distraia o bebê com brinquedos.
• Consulte um pediatra ou profissional de saúde infantil.
• Mas NUNCA, NUNCA, em hipótese alguma sacuda o bebê!!!

Fonte: http://www.ceiias.org.br/page/dicas3.asp

Turma B - Especialização em Pedagogia Hospitalar da FAMESP



Encerramento do módulo I da Turma B - Especialização em Pedagogia Hospitalar da FAMESP. 11/03/2012 - Prof. Marcelo e alunos do curso - Disciplina: : Intervenção Pedagógica e Didática no Contexto Hospitalar. (11/03/2012)

Foi uma grande satisfação trabaslhar com este grupo. Pessoal comprometido, interessado e participativo!

Um grande abraço a tod@s!

IV Encontro Multidisciplinar sobre as Doenças das Vias Aéreas




Com a chegada do outono, também se espera um grande aumento da busca aos pronto-socorros pediátricos e, nesta época do ano, as doenças mais frequentes são as que atingem o sistema respiratório. São as viroses sazonais (gripe, resfriado, bronquiolite), as infecções bacterianas (pneumonia e sinusite), além das crises alérgicas.

Estudos apontam que cerca de 10 a 15% das crianças sofrem de asma, doença inflamatória que atinge o pulmão, causando estreitamento dos brônquios e dificuldade na passagem do ar. A alta incidência desse tipo de problema pode ser atribuída a novos hábitos de vida, como ambientes mais fechados, pouco ensolarados e propícios para o acúmulo de alérgenos. Outros fatores desencadeantes das crises são as infecções e, ainda, os níveis elevados de poluentes. Os sintomas da asma incluem cansaço aos esforços, crises de chiado ou sibilância, tosse, dificuldade para respirar e até, em crises mais graves, falta de oxigênio no organismo que pode levar à morte. O importante é difundir o conceito de que a asma, embora não tenha uma cura definitiva, pode ser controlada através do tratamento preventivo, evitando prejuízos à qualidade de vida e desfechos fatais.

Frequentemente associada à asma, outra alergia respiratória comum nos dias de hoje é a rinite, considerada a doença respiratória crônica mais frequente em todo o mundo, que afeta entre 20 a 25% da população urbana. Crianças com o problema costumam apresentar coceira, espirros, entupimento nasal e coriza, sintomas que transtornam a rotina, o sono e até o aprendizado, além de apresentarem maior chance de desenvolvimento de infecções respiratórias como as sinusites. Além disto, a rinite crônica pode levar a respiração bucal, hábito nem sempre notado pelos pais, mas que causa uma série de malefícios ao organismo como distúrbios do sono, baixo desempenho escolar, problemas de crescimento e de postura, dificuldade de deglutição, mastigação e oclusão dentária.

De 19 a 21 de abril, durante o I Congresso Sabará de Especialidades Pediátricas, ocorrerá o IV Encontro Multidisciplinar sobre as Doenças das Vias Aéreas onde teremos especialistas renomados de vários estados debatendo a solução para minimizar estes problemas. Serão expostas estratégias de trabalho multidisciplinar que propiciam o controle das doenças das vias aéreas, desde tratamentos medicamentosos à prevenção com vacinas, buscando propiciar aos pacientes uma melhor qualidade de vida.

Confira o site do evento: www.sabara50anos.com.br

Fonte: http://networkedblogs.com/v43kN

domingo, 11 de março de 2012

I Fórum Nacional sobre Tecnologia Assistiva



Neste ano na Reatch 2012, ocorrerá o I Fórum Nacional sobre Tecnologia Assistiva... Faça sua inscrição! Espero ver você por lá!

Dias 14 e 15 de abril de 2012 Sala 10 Evento Gratuito

Eixo I: POLÍTICAS GOVERNAMENTAIS

09h00 às 11h00


O Plano Viver Sem Limites e seus eixos 11h00 às 13h00

Apresentação do Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (CNRTA)

Eixo II: DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM DIÁLOGO COM A PERSPECTIVA DE MERCADO 3.

Diagnóstico crítico das prioridades de pesquisa em Tecnologia Assistiva

Identificação dos grupos de produtos de Tecnologia Assistiva

HORÁRIO 15 de abril de 2012 - Domingo

Eixo III: OS MECANISMOS DE CONCESSÃO DE TECNOLOGIA ASSISTIVA E AS
DEMANDAS DO CIDADÃO USUÁRIO

As políticas públicas de concessão de Tecnologia Assistiva na perspectiva do usuário

Modelos para o sistema de concessão de Tecnologia Assistiva

Eixo IV: A TECNOLOGIA ASSISTIVA NA PERSPECTIVA DA ATUAÇÃO PROFISSIONAL


Formação e capacitação de profissionais que prescrevem Tecnologia Assistiva

Perfil profissional de ortesistas e protesistas

Fonte: http://www.pacin.com.br/_scripts/curso049.asp

Especialização em Pedagogia Hospitalar - FAMESP



O processo de ensino-aprendizagem não exige um espaço/tempo definido; ele pode acontecer em qualquer ambiente em que haja vontade de aprender. A Pedagogia Hospitalar vem abrindo um grande espaço nos hospitais de todo Brasil, já que o aluno enfermo tem, muitas vezes, dificuldade em retomar os estudos após o tratamento devido ao desânimo, à desmotivação no aprender, ao medo de não acompanhar a turma na volta à escola, pela fragilidade que se encontra sua autoestima, decorrente das limitações que a doença ocasiona. A inserção do ambiente escolar no período de internação é muito importante para a recuperação da criança, já que distrai, educa e reduz o medo de inferioridade em relação aos colegas.

A Formação de Professores para atendimento escolar hospitalar na FAMESP tem como objetivo incluir o pedagogo como agente educativo, visando à formação de um ser humano integral, fortalecendo os valores da cidadania e da inclusão social e educacional do aluno-paciente.

Público-alvo

Pedagogos, Psicopedagogos e demais profissionais de nível superior interessados na área;
Professores;
Enfermeiros;
Psicólogos;
Assistentes Sociais;
Fisioterapeutas;
Terapeutas Ocupacionais;
Nutricionistas.

Diferencial

Excelência Acadêmica.

Profissionais renomados na área da educação e saúde e uma equipe preocupada em apresentar uma proposta diferenciada , focando um campo de conhecimento a ser explorado, desmistificando o ambiente hospitalar e contribuindo para o bem-estar da criança enferma.

Horário: das 8h às 18h (com uma hora de almoço)
1 final de semana por mês (Sábado e Domingo)
Duração: 18 meses
Início: 10 e 11/03/2012


Estrutura Curricular

Disciplinas Carga horária
Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem 30 horas
Fundamentos da Pedagogia Hospitalar 30 horas
Atividades recreativas, jogos e arteterapia no ambiente hospitalar 20 horas
Brinquedoteca hospitalar: ludicidade e aprendizagem 20 horas
Equipe hospitalar e hospitalização infantil: princípios de inclusão do pedagogo no ambiente hospitalar 40 horas
Educação e Saúde: políticas públicas, planejamento e ação multidisciplinar 35 horas
Psicologia das relações: interlocução da família, escola e hospital 25 horas
Intervenção pedagógica e didática no contexto hospitalar 40 horas
Múltiplas linguagens de expressão e tecnologia 30 horas
Princípios éticos e pedagógicos da educação hospitalar 20 horas
Princípios da educação inclusiva: deficiências e dificuldades físico-motores, sensoriais, posturais, locomoção, aprendizagem, desenvolvimento 30 horas
Didática no Ensino Superior 25 horas
Metodologia do Trabalho Científico * 15 horas
360 horas

* A disciplina será diluída durante o curso.

Este curso de Pós-graduação Lato Sensu atende à Resolução CNE/CES N.01, de 08/06/2007.

Matrícula

A matrícula deverá ser realizada na Secretaria da FAMESP.
Apresentar duas cópias autenticadas ou simples com apresentação do documento original:

RG
CPF
Reservista
Diploma da graduação
Histórico Escolar da graduação
Duas fotos 3x4
Comprovante de residência

Para maiores informações, ligue: (11) 5074-1010
Fonte:http://www.famesp.com.br/Default.aspx?pg=pos_graduacao&cat=educacao&nome=Pedagogia_Hospitalar

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO: COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA, LAICA, GRATUITA E DE QUALIDADE. XVI ENDIPE


Período: 23 a 26 de julho de 2012
Limite de vagas:
Local: Faculdade de Educação da UNICAMP. Campinas/SP

Objetivo Geral


Socializar e debater pesquisas, estudos e propostas sobre a Didática e as Práticas de Ensino como áreas de conhecimentos específicos, áreas disciplinares e áreas de práticas pedagógicas, destacando seu compromisso público e político com resultados do ensino e da aprendizagem de qualidade nos diferentes níveis e modalidades, no contexto da definição e das implicações do Plano Nacional de Educação (2012-2022).

A escola, como instituição social, cumpre uma função que lhe é específica, qual seja, a de assegurar a formação educativa escolar para todas as crianças, jovens e adultos do país. Sua trajetória mostra conquistas, como a ampliação do atendimento a quase todas as crianças em idade escolar, ao mesmo tempo em que evidencia enormes problemas, como a sonegação do ensino público, com qualidade, para boa parte da população que nela está inserida.

As políticas educacionais implementadas nos últimos vinte anos acabaram por impor às escolas um excessivo controle, que tem dificultado sua organização a partir de projetos político-pedagógicos próprios e emanados do trabalho coletivo de sua comunidade. Em decorrência, estão perdendo a possibilidade de se recriar frente às novas demandas sociais, padecendo com a imposição curricular praticada em várias redes de ensino, com as múltiplas avaliações externas (que privilegiam resultados em detrimento de processos educacionais), com a precarização e intensificação do trabalho dos professores, entre outros aspectos. Toda essa situação caminha no sentido do esmagamento de possíveis projetos institucionais e pedagógicos com identidade própria, causando o empobrecimento das práticas docentes e a deterioração da qualidade da formação disponibilizada aos alunos.

A escola pública pede socorro!

Nós educadores que ainda acreditamos numa sociedade que se torne justa e solidária pela socialização e partilha de saberes, de conhecimentos e de valores, estamos convocados a responder a esse grito de alerta. Nunca é demais perguntar: que sociedade queremos para os brasileiros das gerações futuras? Sem medo de pieguice, podemos afirmar que essa sociedade está sendo tecida nos espaços/tempos da escola pública!

É por isso que o momento atual requer o compromisso de todos os setores da sociedade, principalmente o dos educadores, em favor da escola pública, criando possibilidades para o enfrentamento de seus problemas, de modo a fazer cumprir sua função social de assegurar aprendizagens enriquecedoras a todos os alunos, ampliando a perspectiva de direitos, garantida no plano legal.

O XVI ENDIPE coloca em destaque essa problemática e convoca os educadores para refletirem, a partir dos retratos da nossa escola, sobre o que nos cabe como docentes, bem como o que se impõe à Didática e às Práticas de Ensino das diferentes áreas do conhecimento e o que pode se renovar por meio de nossas ações.

Desde sua criação, no início dos anos 1980, os ENDIPEs constituem espaço privilegiado para a apresentação e o debate de pesquisas, estudos e experiências que buscam responder questões emergentes da educação brasileira. Tendo por tema geral: DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO: COMPROMISSO COM A ESCOLA PÚBLICA, LAICA, GRATUITA E DE QUALIDADE – o XVI ENDIPE se propõe a ser um espaço de articulação de trabalhos que, ao considerarem o ensino como prática social e com base nos campos teórico e disciplinar da Didática e das Práticas de Ensino, indiquem caminhos e perspectivas teóricas, metodológicas e políticas para a superação dos entraves que geram cada vez mais uma desigualdade social, a partir da sonegação do ensino de qualidade, como direito de todos que passaram a ter acesso à escolaridade.

Informações: http://www.endipe2012.com.br/

Facebook também tem coisa boa!...Algo para Refletir...

7° Encontro Nacional de Atendimento Escolar Hospitalar & 1° Seminário de Educação Popular e Saúde - Belém 2012


7° Encontro Nacional de Atendimento Escolar Hospitalar & 1° Seminário de Educação Popular e Saúde - Belém 2012


Os Encontros anteriores foram realizados em 2000 no Rio de Janeiro, em 2002 em Goiânia, 2004 em Salvador, 2005 em Porto Alegre, em Curitiba em 2007 e 2009 em Niterói. Em 2012 acontecerá em Belém, no mês de junho.
O 7° Encontro Nacional Sobre Atendimento Escolar Hospitalar juntamente com o 1° Seminário de Educação Popular de Saúde é um evento acadêmico e científico que ocorre bianualmente organizado pelas instituições de Ensino Superior em parceria com as Secretarias de Educação dos Estados.
Em 2012, o mesmo acontecerá por meio da Coordenação de Educação Especial da Secretaria de Educação - SEDUC em conjunto com as Universidades Federal e Estadual do Pará e a SESPA.
A educação escolar hospitalar em Belém iniciou seu atendimento em 2003 com professores da SEDUC atendendo educacionalmente crianças e adolescentes do ensino regular. Entretanto, ações dessa natureza já vinham acontecendo desde 2002 pelo Núcleo de Educação Popular - NEP, da Universidade Estadual do Pará - UEPA, para jovens e adultos.

OBJETIVO GERAL
Reunir professores e pesquisadores que atuam no atendimento escolar hospitalar ou domiciliar às crianças ou jovens doentes para que partilhem, conheçam, discutam e produzam experiências focadas na garantia do direito à educação das crianças e adolescentes internados em ambientes hospitalares ou em tratamento domiciliar.

Maiores Informações: http://www.construcaodosaber.com/educacaohospitalar/index.php

Classe Hospitalar festeja o Carnaval

NotíciasPostada em 17/02 – 15:25 Classe Hospitalar do Hospital da Posse festeja o Carnaval

A Classe Hospitalar do Hospital Geral de Nova Iguaçu (Posse) entrou no ritmo do Carnaval. Embalados pelas marchinhas clássicas, o desfile do Bloco Doces Palavras levou muita alegria à Pediatria na tarde desta quinta-feira, dia 16 de fevereiro. Alunos-pacientes, responsáveis e funcionários do HGNI, tendo à frente a porta-estandarte Maria Eduarda, 7 anos, saíram da sala de aula e deram a volta no corredor. “O Carnaval na Classe Hospitalar foi trabalhado de forma interdisciplinar, respeitando o aluno-paciente em suas necessidades, curiosidades, costumes e oferecendo informações sobre o tema”, explica a professora Luciene Braga, responsável pela Classe Hospitalar.

A professora conta que, no período de 06 a 16 de fevereiro, utilizou vários recursos, como vídeos e marchinhas, para desenvolver a apreciação musical, a linguagem oral e escrita e a expressividade dos alunos. “Com o desenvolvimento do Projeto O Carnaval Brasileiro foi possível aos pequenos pacientes: despertar a curiosidade pelo mundo social, desenvolver o senso critico e a imaginação, e conhecer a história do carnaval no Brasil e suas características”, conta Luciene.

O objetivo era que as crianças coletassem dados sobre o carnaval no Brasil, para conscientizar os pequenos de que é preciso não confundir diversão com confusão, estimular o ritmo e também proporcionar liberdade de expressão. Todas as produções dos alunos-pacientes viraram um mural informativo, exposto na Pediatria, que chama a atenção até dos pais e responsáveis das crianças. “Tem uma frase de Paulo Freire que diz que “Educar é impregnar de sentido tudo o que fazemos a cada instante”. É essa a proposta da Classe Hospitalar do HGNI”, resume a professora.

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/classe-hospitalar-do-hospital-da-posse-festeja-o-carnaval/383356/#.Tz-kNV4mLm0.facebook

domingo, 22 de janeiro de 2012

DIVULGAÇÃO DE CURSOS NA ÁREA DE ATENDIMENTO ESCOLAR HOSPITALAR



CURSO 1: Educação em Saúde no Atendimento Escolar Hospitalar: Modalidade Residência – Universidade Federal de São Paulo – Campus São Paulo/Vila Clementino

Período de inscrições: de 09/01/2012 a 31/01/2012
Inscrições via internet: http://procdados.epm.br/dpd/proex/asp/index.asp?page=INS&tipo=E&clss=D&fltr=&codc=1379&anoc=2012
BOLSA DE ESTUDO DE R$ 1600,00 líquidos
PATROCÍNIO PETROBRAS
Ano: 2012
Nível: Especialização
Curso: Educação em Saúde no Atendimento Escolar Hospitalar:Modalidade Residencia
Público Alvo:
Professores Das Diferentes Licenciaturar E Professores Do Curso De Pedagogia
Coordenador: Prof. Dr. Antonio Sergio Petrilli, Prof. Dr. Marcos Cezar de Freitas
Departamento(s) responsável(is): Pediatria
Programa Resumido:
O Curso de Especialização Modalidade: Residência, com bolsa Petrobras - Programa D & C, tem como objetivo desenvolver formação específica para a atuação do professor das diferentes disciplinas da Educação Infantil e Básica no espaço hospitalar. para tal, proporciona aos participantes a inserção na prática profissional no contexto hospitalar, mediante ensinamentos teóricos e teórico-práticos constantes e integrados em relação às diferentes necessidades formativas: atenção ao aluno, família e escola regular.
Predominará a realização de atividades de atendimento escolar direto ao aluno, complementadas por aporte teórico e suporte teórico-prático.
O Programa compõe como os demais núcleos de Especialaização da Unifesp um corpo homogêneo de formação em serviço.
Por ser um curso com carater de residência trabalha com: Tutor(Profª Drª Amália Neide Covic); Supervisor (Profª Mª. Fabiana A. de Melo Oliveira) e Preceptor(Prof.Mestranda Vanessa Ferreira Alvim)
Número de Vagas: 7
Inscrição
Pré-Requisitos:
I - ter no máximo dois anos de formado.
II - apresentar diploma de graduação bacharel e/ou licenciatura em áreas relacionadas à Educação Básica, devidamente registrado.
§ único - Caso esteja cursando o último ano de graduação, o candidato deverá apresentar declaração comprobatória expedida pela Instituição de Ensino de origem;
III- apresentar o curriculum vitae relacionando as atividades escolares, profissionais e científicas;
IV - se estrangeiro, apresentar a Cédula de Identidade de Estrangeiro que comprove ser portador de visto provisório ou permanente, resultando em situação regular no país.
V- ter sido aprovado do processo seletivo
Valor: R$ 150,00
Período: 09/01/2012 a 31/01/2012
Documentos Exigidos:
1) Documentos pessoais (RG, TE, CR, CPF, comprovante de residência)
2) Comprovante de Inscrição e Matrícula.
3) Certificação da graduação conforme explicitado no item : pré-requisitos.
Processo Seletivo
Etapa(s):
PROVA TEÓRICA
Obs: Prova com Conteúdo Específico da Graduação (Específico de Cada Área)
IOP-GRAACC/UNIFESP
RUA BOTUCATU, 743
03/02/2012 às 9:00 hrs.
ANÁLISE DE CURRICULUM VITAE
Obs: Será Analisado no Processo da Entrevista
IOP-GRAACC/UNIFESP
RUA BOTUCATU, 743
03/02/2012 às 9:00 hrs.
ENTREVISTA
Obs: Entrevista com Análise de Caso de Ensino
IOP-GRAACC/UNIFESP
RUA BOTUCATU 743
03/02/2012 às 9:00 hrs.
CARTA DO CANDIDATO EXPLICANDO OS MOTIVOS DE INTERESSE
Obs: Enviar Até a Data Abaixo, Juntamente com o Curriculum Vitae para
E-MAIL

03/02/2012 às 9:00 hrs.
Matrícula
Valor: R$ 70,00
Período: 09/02/2012 a 10/02/2012
Dados do Curso
Mensalidade: R$
Início e Término: 13/02/2012 a 30/01/2014
Carga Horária: 3024 Práticas e 836 Teóricas
Período: Integral - segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira, sábado
Horário: 08:00 as 17:00 hrs.

CURSO 2: Multiprofissional em Oncologia Pediátrica na Área Hospitalar e Ambulatorial
Período de inscrições: de 16/01/2012 a 31/01/2012
Inscrições via internet:
http://procdados.epm.br/dpd/proex/asp/index.asp?page=INS&tipo=E&clss=D&fltr=&codc=1209&anoc=2012





Nível: Especialização
Curso: Multiprofissional em Oncologia Pediatrica na Area Hospitalar e Ambulatorial
Público Alvo:
Alunos Com Nível Superior Concluído Em Cursos Reconhecidos Pelo Mec Das Áreas Do Conhecimento: Educação(Bacharelados/Licenciaturas),Educação, Fisioterapia Motora, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social E Terapia Ocupacional.
Coordenador: Prof. Dr Antonio Sergio Petrilli, Profa. Dra Maria Ines Rebelo Gonçalves
Departamento(s) responsável(is): Pediatria
Programa Resumido:
Curso com 21 HORAS SEMANAIS em que o enfoque é aquele que articula formação inicial e continuada, teoria e prática, ensino e aprendizagem, conhecimento acadêmico e experienciado, práticas e políticas públicas voltadas ao atendimento Multiprofissional de
crianças e adolescentes gravemente enfermos. Essa opção revela uma inovação, para profissionais trabalharem em seus atendimentos de forma integrada com outras equipes e não isoladamente como propõe a formação inicial de origem. de forma ampla, lida-se com o conhecimento em construção e, para tal, a abordagem do conteúdo é desenvolvida
concomitantemente ao binômio teoria e prática, além de elementos da pesquisa em saúde.
Sub-áreas e seus coordenadores: Atendimento Escolar Hospitalar(Drª Amália Neide Covic), Enfermagem (Doutoranda Adriana Maria Duarte e Mestranda Ana Lygia Pires Melaragno), Fisioterapia Motora(MªLiliana Yu Tsai), Nutrição( Doutoranda Priscila dos Santos Maia), Odontologia(Mestrando Marcos Antonio Arruda Souto), Psicologia(Mestranda Renata Petrilli), Serviço Social(Espª Iara Cristina Dieb Mingione) e Terapia Ocupacional (Espª Walkyria de Almeida Santos)



Número de Vagas: 20
Inscrição
Pré-Requisitos:
Formação universitária completa em cursos de bacharelado e/ou licenciatura. Ser aprovado no processo de seleção.
Valor: R$ 150,00
Período: 16/01/2012 a 31/01/2012
Documentos Exigidos:
Cópia de Currículo Lattes com cópia simples que comprove currículo acadêmico(Certificado de conclusão da graduação), pessoal(RG., CIC., Título de Eleitor, Comprovante de residência). Duas (2) fotos 3x4.
Processo Seletivo
Etapa(s):
PROVA TEÓRICA
Obs: Conteúdos da Graduação. Outras Informações Em: Www.Graacc.Org.Br
IOP-GRAACC/UNIFESP
RUA BOTUCATU, 743
11/02/2012 às 9:30 hrs.
ANÁLISE DE CURRICULUM VITAE
Obs: A Análise do Currículo Será Realizada do Período da Prova Até a Entrevista
IOP-GRAACC/UNIFESP
RUA BOTUCATU, 743
11/02/2012 às 9:30 hrs.
ENTREVISTA
Obs: No Dia da Prova Teórica Agendaremos a Entrevista.
IOP-GRAACC/UNIFESP
RUA BOTUCATU, 743
11/02/2012 às 9:30 hrs.
Matrícula
Valor: R$ 70,00
Período: 27/02/2012 a 02/03/2012
Dados do Curso
Mensalidade: R$
Início e Término: 12/03/2012 a 11/01/2013
Carga Horária: 448 Práticas e 296 Teóricas
Período: Manhã/Tarde - segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira
Horário: 08:00 as 17:00 hrs.

Para maiores informações, acesse o site www.graacc.org.br